Presidente da UGT vai falar sobre terceirização e reforma política

O presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores), Ricardo Patah, é o convidado do Sindeepres Entrevista desta sexta-feira, dia 19, às 10 horas. O tema será terceirização e reforma política.

Patah é também o atual presidente do Sindicato dos Comerciários de São Paulo. Entre outras atribuições, desde maio de 2007 integra o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República, que reúne representantes da sociedade civil – empresários, sindicalistas, políticos e líderes de movimentos sociais. Delegado brasileiro na Conferência Internacional do Trabalho da OIT em 1999, foi representante dos trabalhadores no Conselho Curador do FGTS em 2001 e membro do Conselho da Previdência Social em 2005.

É graduado em Direito pela Universidade São Judas Tadeu e em Administração pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo. Como dirigente sindical, defende um novo rumo para o sindicalismo brasileiro, incorporando as ideias de cidadania, ética e inovação e agregando ao movimento sindical os excluídos do mercado de trabalho: os desempregados, os trabalhadores na informalidade e os brasileiros que estão à margem do processo produtivo.

O Sindeepres Entrevista tem três blocos de perguntas, sendo que o último é dedicado às questões, comentários e observações de internautas, que chegam pelo e-mail tv@sindeepres.org.br


Sindeepres Entrevista
Ricardo Patah
Sexta-feira, 19 de setembro, às 10h
Transmissão online pela TV SINDEEPRES www.tvsindeepres.org.br

Jornalista e consultor político e organizacional foi entrevistado no programa Sindeepres Entrevista

Jornalista e consultor político e organizacional Gaudêncio Torquato foi entrevistado no programa Sindeepres Entrevista em setembro (11). O especialista avaliou as campanhas políticas dos principais candidatos à presidência da República nas eleições de 2014, apontou os entraves que afetam o país, sobretudo no setor econômico, e as reformas necessárias que o Brasil precisa realizar nos próximos anos.

Torquato falou da importância vital da comunicação para constituir a identidade de uma pessoa, uma organização e um partido político. “A identidade tem o lado estético, que se resume na expressão, e o lado semântico, que é o conteúdo. Sem a comunicação, não há como sobreviver na sociedade da informação e do espetáculo. É o eixo de visibilidade das pessoas e das organizações”, ressalta.

Com relação às campanhas eleitorais deste ano, destacou a importância de os candidatos estarem atentos às novas demandas sociais, em função das manifestações de rua. “Esta campanha não é só televisão ou rádio. Os candidatos devem ir ao encontro da massa, diferentemente dos outros anos”, reforçou.

Sobre os três principais candidatos, Torquato avalia que o desempenho de Dilma Rousseff, que trabalha na perspectiva da reeleição, é mais forte comparado à dos outros candidatos porque ela faz uso da máquina do governo. “É uma candidata que quer garantir a continuidade do ciclo do PT no poder”.

Segundo o especialista, Marina Silva chama a atenção pela estética. “Ela é negra, tem voz muito aguda, é magra, é evangélica e se veste de maneira tradicional. Passa uma simplicidade e honestidade”.

Já Aécio Neves, para Torquato, transmite jovialidade, tem propostas interessantes e concretas, particularmente na área econômica, mas perdeu eleitores com a morte de Eduardo Campos. “O Brasil se comove, e a Marina surfa nessa onda de emoção. Hoje está empatada com a presidente Dilma. Ambas entrarão para o segundo turno, deixando Aécio para trás”, disse.

A respeito do desempenho dos candidatos nas propagandas de TV e nos debates, o especialista afirmou que a presidenta Dilma apresenta uma moldura quase cinematográfica das obras realizadas durante o governo do PT. Marina tem um discurso objetivo, o que chama a atenção. E Aécio Neves, apesar de ter um bom tempo de apresentação, usa uma linguagem linear, sem muita emoção.

“Então, eu vejo a Dilma querendo mostrar o que fez, e Marina trabalhando com o conceito da nova política. O Brasil quer a nova política, e Marina incorporou isso”, observou Torquato. De acordo com ele, o segundo turno promete ser bem competitivo. “A presidente Dilma arrasta os bolsões das margens sociais, por conta da equação que chamo de ‘boba coca’: bolso cheio, barriga satisfeita, coração agradecido e cabeça que vota.”

De acordo com as propostas partidárias, o especialista afirma que a palavra-chave para esta eleição é “mudança”, conceito usado por Lula em janeiro de 2003. “A sociedade está saturada da mesmice. O sistema educacional está obsoleto, a área da saúde está corroída e a segurança pública é um desastre. As pessoas querem mudança”. E completa: “Mas como mudar o Brasil com uma cultura arraigada na árvore dos ismos, em que o patrimonialismo, a apropriação da coisa pública pelo negócio privado, gerou mandonismo, grupismo e nepotismo? Não se muda uma cultura por decreto”, afirmou.

Desafios

Torquato aponta que, seja qual for o candidato eleito, o Brasil precisa superar entraves, principalmente na área econômica, como os juros altos e a inflação crescente, na área trabalhista e na política. Segundo ele, para avançar econômica e socialmente o país precisa realizar reforma política, previdenciária, trabalhista, tributária e educacional.

O programa está disponível nos sites:

http://www.tvsindeepres.org.br/tv/

http://www.sindeepres.org.br/ nos links TV-Rádio e TV SINDEEPRES.

O internauta também pode participar do programa mandando perguntas para o e-mail tvsindeepres@sindeepres.org.br
 

No evento comemorativo de aniver­sário e da inauguração do estúdio de TV do SINDEEPRES, a quarta turma formada do Programa Meu Primeiro Emprego recebeu o cer­tificado assinado pelo ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, em agosto (22).

Representantes do grupo, Bruna Andrezza Mendes Gonçalves, de 19 anos, e Wesley Oliveira de Je­sus, de 17 anos, receberam o do­cumento das mãos do ministro. “É muito gratificante”, destacou a jo­vem. “Não tenho palavras para expressar minha felicidade”, comple­tou Wesley.

Destinado ao público de faixa etária entre 15 e 21 anos, o curso prepara jovens para ingressar no mercado de trabalho com atividades de ro­tinas administrativas: qualidade no atendimento, assistência adminis­trativa e secretariado.

Só este ano, cerca de 80 alunos se formaram no programa do sindicato.

 

Para os trabalhadores terem mais mecanismos de acesso ao conhecimento de seus direitos e benefícios, neste sábado estreia o programa Sindeepres no Ar, na Mix TV, canal 14 (UHF), das 12h às 12h30.

Neste primeiro programa, será apresentado o Estúdio de Televisão Sindeepres, com a participação do Trabalho e Emprego, Manoel Dias. Inaugurada no dia 22 de agosto, em comemoração os 22 anos de atuação do sindicato, a TV Sindeepres, transmite ao vivo, via internet, programas de interesse da categoria.

“Com o programa, vamos expandir ainda mais a nossa comunicação com os trabalhadores da categoria, bem como com todos os cidadãos brasileiros. Pelo alcance sociocultural que a TV promove, pretendemos mostrar os avanços econômicos e sociais da terceirização no país”, diz o presidente do SINDEEPRES, Genival Beserra Leite.

O programa será reprisado aos domingos, das 12h às 12h30.

Fique ligado!

Programa: Sindeepres no Ar

Onde: MIX TV, canal 14 (UHF)

Horário e dia: 12h às 12h30 (aos sábados e domingos)

Reprise: 12h às 12h30 (aos domingos)

        
  • Ricardo Patah participa do  Sindeepres Entrevista desta sexta (19/9)

    Presidente da UGT vai falar sobre terceirização e reforma política

    O presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores), Ricardo Patah, é o convidado do Sindeepres Entrevista desta sexta-feira, dia 19, às 10 horas. O tema será terceirização e reforma política.

    Patah é também o atual presidente do Sindicato dos Comerciários de São Paulo. Entre outras atribuições, desde maio de 2007 integra o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República, que reúne representantes da sociedade civil – empresários, sindicalistas, políticos e líderes de movimentos sociais. Delegado brasileiro na Conferência Internacional do Trabalho da OIT em 1999, foi representante dos trabalhadores no Conselho Curador do FGTS em 2001 e membro do Conselho da Previdência Social em 2005.

    É graduado em Direito pela Universidade São Judas Tadeu e em Administração pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo. Como dirigente sindical, defende um novo rumo para o sindicalismo brasileiro, incorporando as ideias de cidadania, ética e inovação e agregando ao movimento sindical os excluídos do mercado de trabalho: os desempregados, os trabalhadores na informalidade e os brasileiros que estão à margem do processo produtivo.

    O Sindeepres Entrevista tem três blocos de perguntas, sendo que o último é dedicado às questões, comentários e observações de internautas, que chegam pelo e-mail tv@sindeepres.org.br


    Sindeepres Entrevista
    Ricardo Patah
    Sexta-feira, 19 de setembro, às 10h
    Transmissão online pela TV SINDEEPRES www.tvsindeepres.org.br

  • Torquato analisa os principais candidatos à presidência e aponta desafios para os próximos 4 anos

    Jornalista e consultor político e organizacional foi entrevistado no programa Sindeepres Entrevista

    Jornalista e consultor político e organizacional Gaudêncio Torquato foi entrevistado no programa Sindeepres Entrevista em setembro (11). O especialista avaliou as campanhas políticas dos principais candidatos à presidência da República nas eleições de 2014, apontou os entraves que afetam o país, sobretudo no setor econômico, e as reformas necessárias que o Brasil precisa realizar nos próximos anos.

    Torquato falou da importância vital da comunicação para constituir a identidade de uma pessoa, uma organização e um partido político. “A identidade tem o lado estético, que se resume na expressão, e o lado semântico, que é o conteúdo. Sem a comunicação, não há como sobreviver na sociedade da informação e do espetáculo. É o eixo de visibilidade das pessoas e das organizações”, ressalta.

    Com relação às campanhas eleitorais deste ano, destacou a importância de os candidatos estarem atentos às novas demandas sociais, em função das manifestações de rua. “Esta campanha não é só televisão ou rádio. Os candidatos devem ir ao encontro da massa, diferentemente dos outros anos”, reforçou.

    Sobre os três principais candidatos, Torquato avalia que o desempenho de Dilma Rousseff, que trabalha na perspectiva da reeleição, é mais forte comparado à dos outros candidatos porque ela faz uso da máquina do governo. “É uma candidata que quer garantir a continuidade do ciclo do PT no poder”.

    Segundo o especialista, Marina Silva chama a atenção pela estética. “Ela é negra, tem voz muito aguda, é magra, é evangélica e se veste de maneira tradicional. Passa uma simplicidade e honestidade”.

    Já Aécio Neves, para Torquato, transmite jovialidade, tem propostas interessantes e concretas, particularmente na área econômica, mas perdeu eleitores com a morte de Eduardo Campos. “O Brasil se comove, e a Marina surfa nessa onda de emoção. Hoje está empatada com a presidente Dilma. Ambas entrarão para o segundo turno, deixando Aécio para trás”, disse.

    A respeito do desempenho dos candidatos nas propagandas de TV e nos debates, o especialista afirmou que a presidenta Dilma apresenta uma moldura quase cinematográfica das obras realizadas durante o governo do PT. Marina tem um discurso objetivo, o que chama a atenção. E Aécio Neves, apesar de ter um bom tempo de apresentação, usa uma linguagem linear, sem muita emoção.

    “Então, eu vejo a Dilma querendo mostrar o que fez, e Marina trabalhando com o conceito da nova política. O Brasil quer a nova política, e Marina incorporou isso”, observou Torquato. De acordo com ele, o segundo turno promete ser bem competitivo. “A presidente Dilma arrasta os bolsões das margens sociais, por conta da equação que chamo de ‘boba coca’: bolso cheio, barriga satisfeita, coração agradecido e cabeça que vota.”

    De acordo com as propostas partidárias, o especialista afirma que a palavra-chave para esta eleição é “mudança”, conceito usado por Lula em janeiro de 2003. “A sociedade está saturada da mesmice. O sistema educacional está obsoleto, a área da saúde está corroída e a segurança pública é um desastre. As pessoas querem mudança”. E completa: “Mas como mudar o Brasil com uma cultura arraigada na árvore dos ismos, em que o patrimonialismo, a apropriação da coisa pública pelo negócio privado, gerou mandonismo, grupismo e nepotismo? Não se muda uma cultura por decreto”, afirmou.

    Desafios

    Torquato aponta que, seja qual for o candidato eleito, o Brasil precisa superar entraves, principalmente na área econômica, como os juros altos e a inflação crescente, na área trabalhista e na política. Segundo ele, para avançar econômica e socialmente o país precisa realizar reforma política, previdenciária, trabalhista, tributária e educacional.

    O programa está disponível nos sites:

    http://www.tvsindeepres.org.br/tv/

    http://www.sindeepres.org.br/ nos links TV-Rádio e TV SINDEEPRES.

    O internauta também pode participar do programa mandando perguntas para o e-mail tvsindeepres@sindeepres.org.br
     

  • Formandos do Primeiro Emprego têm certificado assinado por ministro
    No evento comemorativo de aniver­sário e da inauguração do estúdio de TV do SINDEEPRES, a quarta turma formada do Programa Meu Primeiro Emprego recebeu o cer­tificado assinado pelo ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, em agosto (22).

    Representantes do grupo, Bruna Andrezza Mendes Gonçalves, de 19 anos, e Wesley Oliveira de Je­sus, de 17 anos, receberam o do­cumento das mãos do ministro. “É muito gratificante”, destacou a jo­vem. “Não tenho palavras para expressar minha felicidade”, comple­tou Wesley.

    Destinado ao público de faixa etária entre 15 e 21 anos, o curso prepara jovens para ingressar no mercado de trabalho com atividades de ro­tinas administrativas: qualidade no atendimento, assistência adminis­trativa e secretariado.

    Só este ano, cerca de 80 alunos se formaram no programa do sindicato.

     

  • SINDEEPRES tem programa na MIX TV

    Para os trabalhadores terem mais mecanismos de acesso ao conhecimento de seus direitos e benefícios, neste sábado estreia o programa Sindeepres no Ar, na Mix TV, canal 14 (UHF), das 12h às 12h30.

    Neste primeiro programa, será apresentado o Estúdio de Televisão Sindeepres, com a participação do Trabalho e Emprego, Manoel Dias. Inaugurada no dia 22 de agosto, em comemoração os 22 anos de atuação do sindicato, a TV Sindeepres, transmite ao vivo, via internet, programas de interesse da categoria.

    “Com o programa, vamos expandir ainda mais a nossa comunicação com os trabalhadores da categoria, bem como com todos os cidadãos brasileiros. Pelo alcance sociocultural que a TV promove, pretendemos mostrar os avanços econômicos e sociais da terceirização no país”, diz o presidente do SINDEEPRES, Genival Beserra Leite.

    O programa será reprisado aos domingos, das 12h às 12h30.

    Fique ligado!

    Programa: Sindeepres no Ar

    Onde: MIX TV, canal 14 (UHF)

    Horário e dia: 12h às 12h30 (aos sábados e domingos)

    Reprise: 12h às 12h30 (aos domingos)

 

Últimas Notícias

Jurídico + Mais... »

  • Restituição do INSS (Lei 9711/98)
    O governo federal, nas suas atribuições, tenta e consegue suprir o INSS (Instituto Nacional do ...
    O governo federal, nas suas atribuições, tenta e consegue suprir o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) obrigando as empresas prestadoras de serviço a destacarem em suas notas fiscais os 11% de INSS, referente a retenção da Lei 9711/98, valores estes que são retidos, no momento do pagamento, pelo tomador do serviço, e recolhidos diretamente ao fisco. Estas retenções por sua vez são pagas pelas empresas contratantes dos serviços. Para exemplificar: Vamos supor como exemplo que a empresa  XXX Serviços de Terraplanagem Ltda foi contratada para prestar um serviço de terraplanagem para uma construtora. Neste serviço executado, a empresa XXX Serviços de Terraplanagem Ltda.  emite uma nota fiscal e são destacados diversos impostos e entre eles o INSS 11%. Se o serviço prestado foi do valor de R$ 100.000,00,  XXX Serviços de Terraplanagem Ltda., recebera R$ 89.000,00 líquidos, e R$ 11.000,00 será o valor da retenção na fonte pagadora. Este percentual de 11% de INSS retido é para que o contratada faça a compensação com o INSS devido na folha de pagamento, assim não deixando de contribuir com a previdência social. Em uma empresa que tem poucos funcionários e o valor do serviço é de alta monta como neste caso podemos sugerir que o valor devido na folha de pagamento é de R$ 3.000,00 em INSS. Eu particularmente concordo com o que determina a LEI 9711/98, e sou à favor da retenção, porque desta forma o pais gera empregos formais e a previdência social fica em situação positiva com relação aos gastos previdenciários. Sendo uma retenção na fonte pagadora, no meu ponto de vista é um pagamento antecipado que se faz para este tributo, sem saber antecipadamente se será um pagamento à maior ou até à menor da cobrança devida. Com este raciocínio lógico, o governo institui que se o pagamento for à menor do que o devido, o prestador de serviço deverá emitir uma guia para pagar a diferença da contribuição previdenciária de sua folha ou da GFIP/SEFIP. O que o governo não divulga é que se a retenção em sua nota fiscal for à maior que a devida o contribuinte tem o direito creditório de seu pagamento à maior através de uma restituição. Seguindo esta razão, no final da GFIP/SEFIP existe o relatório das retenções nas notas fiscais do período correspondente ou do mês da competência, onde se destacam os seguintes itens: Retenção (Lei 9711/98) Valor Informado: Período Valor Abatido pelo SEFIP: Valor a Compensar / Restituir: Para que o contribuinte possa solicitar a restituição dos valores pagos à maior, ou neste caso onde a retenção foi à maior, é obrigatório o preenchimento correto dos campos informados na GFIP/SEFIP, ou seja, se não preencher corretamente as guias, o INSS que é hoje uma parte da Receita Federal do BRASIL não fará a Restituição. Neste caso acima, o preenchimento da GFIP/SEFIP terá que ser desta forma: Retenção (Lei 9711/98) Valor Informado: R$ 11.000,00 Período Valor Abatido pelo SEFIP: R$ 3.000,00 Valor a Compensar / Restituir: R$ 8.000,00 O que geralmente ocorre é que as GFIP/SEFIP, não são preenchidas de maneira correta, fazendo com que o empresariado recolha o valor integral do INSS. Continuando o nosso exemplo, o prestador do serviço, alem de sofrer a retenção dos R$11.000,00, e o tomador recolher em seu benefício, recolhe os R$ 3.000,00 que foram gerados na GFIP/SEFIP. De outro modo, mesmo que ocorra o lançamento correto, o prestador tem direito a Restituir os R$ 8.000,00. Ao se realizar uma análise superficial GFIP/SEFIP e notas fiscais do prestador de serviço, podemos observar se o lançamento do crédito foi feito de maneira correta, caso haja a divergência como apontada no nosso exemplo, deve-se, retificar todas as declarações do período, incluindo os valores retidos. Com esse lançamento, teremos 2 créditos distintos, quais sejam: Saldo de crédito da GFIP/SEFIP; e Pagamento indevido ou a maior. Caso o lançamento da retenção esteja correto teremos somente o saldo de crédito apontado pela GFIP/SEFIP. Efetuando todo este procedimento, é preciso elaborar o Pedido de Restituição Eletrônico, ou mais conhecido como PER/DCOMP. Para a elaboração deste Pedido, se faz necessário o CNPJ da empresa contratante, o valor da Retenção, o valor total da Nota Fiscal, a data da Nota Fiscal, Dados Bancários da empresa contratada. Desde então, pode-se preencher todos os requerimentos do Pedido e enviar eletronicamente para ser analisado pela RFB (Receita Federal do Brasil). Normalmente, este PER/DCOMP pode ficar de 8 à 10 anos para ser analisado e homologado por morosidade da Receita Federal do Brasil. A boa noticia é que o credito devido é restituído corrigido pela taxa SELIC em dinheiro na conta corrente da empresa requerente. Diferentemente do que normalmente ocorre, alguns contribuintes vem recebendo créditos de restituição e/ou ressarcimento em prazo bem mais exíguo do que os praticados pela RFB, que variam de 5 a 18 meses, e em caso mais específico já foi noticiado que o pagamento se deu em 45 (quarenta e cinco) dias. Para que se de agilidade há de se contratar uma empresa de consultoria tributária para agilizar estes processos administrativamente e/ou judicialmente, de outra forma a espera da empresa requerente poderá aguardar de 8 à 10 anos e ainda ter seu direito negado por falha no preenchimento dos arquivos entregues. Artigo escrito por Jean Pansarella – Professor universitário, consultor empresarial e tributário, atuando na área de Comercio Exterior, creditos tributários federais e soluções empresariais.Contato pessoal: Ph.: 5511-982332047 e-mail: jeanpansarella@gmail.com  
  • Nova lei para trabalhadores temporários aumenta de 6 para 9 meses os contratos de trabalho
    No dia 1º de julho de 2014 entrou em vigor a nova lei para contratação de trabalhadores ...
    No dia 1º de julho de 2014 entrou em vigor a nova lei para contratação de trabalhadores temporários, que aumenta de seis para nove meses o limite máximo dos contratos de trabalho. Entre as vantagens da nova lei para o trabalhador estão poder trabalhar na mesma empresa por um período maior e ter garantido o salário por mais tempo em um local com o qual está familiarizado. Outra vantagem é ter mais tempo para mostrar seu potencial profissional e, assim, ter maior oportunidade de futuramente ser contratado para uma vaga fixa. Segundo orientação do Sebrae-SP, os micro e pequenos empresários devem saber que os trabalhadores temporários podem ser contratados em duas situações: na substituição transitória de empregado regular e permanente e em datas em que há acréscimo de atividades, como Natal, Dia das Mães, Dia das Crianças etc. Mas a extensão só vale para o primeiro caso. “A extensão do contrato de trabalho temporário, de seis meses para nove meses, com relação a um mesmo empregado, somente se aplica à substituição transitória de empregado regular e permanente, não valendo para o acréscimo extraordinário de serviços, como as datas comemorativas”, explica Sandra Fiorentini, consultora jurídica do Sebrae-SP. O promotor de vendas Sérgio Jorge da Silva, representado do SINDEEPRES, é favorável à nova norma. “Se for para beneficiar os trabalhadores temporários, fico feliz”, disse. Com 25 anos no ramo de promotoria, nos últimos dois anos ele tem sido temporário. E aponta as vantagens dessa forma de contratação: “Em cada empresa que você entra aprende algo novo, seja com o cliente, seja com o gerente/supervisor, por isso concordo com a nova lei”, destaca. Para contratação temporária superior a três meses, o empresário deve pedir autorização pelo site do Ministério do Trabalho e Emprego no Sirett (Sistema de Registros de Empresas de Trabalho Temporário) com antecedência mínima de cinco dias do início do contrato. Já no caso de prorrogação do prazo, o pedido deve ser feito cinco dias antes do término previsto do contrato. 
  • Convenções Coletivas de Energia e Água - 2014 / 2015
    Em Convenções Coletivas de Trabalho firmadas entre o SINDEPRESTEM (sin­dicato patronal) e o ...
    Em Convenções Coletivas de Trabalho firmadas entre o SINDEPRESTEM (sin­dicato patronal) e o SINDEEPRES, os empregados em Empresas de Pres­tação de Serviços a Terceiros em Con­cessionárias de Água, Saneamento Básico e Similares e em Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros em Concessionárias de Energia Elétrica, Gás e Similares tiveram os salários rea­justados com data-base em 1º de abril. A correção salarial inclui os emprega­dos administrativos e internos de em­presas privatizadas mediante conces­são do setor público no estado de São Paulo, com abrangência territorial em São Paulo. Para mais informações sobre o piso normativo salarial, auxílio alimentação e Participação nos Lucros e/ou Re­sultados (PLR), entre outros benefí­cios, acesse os links abaixo: http://www.sindeepres.org.br/images/stories/pdf/convencao/agua2015.pdf http://www.sindeepres.org.br/images/stories/pdf/convencao/energia2015.pdf  
  • Justiça do Trabalho reconhece o Sindeepres como legítimo representante dos empregados terceirizados em portarias de Campinas e Região
    (clique aqui para ver Acórdão)Em 1º de dezembro de 2011, o egrégio Tribunal Regional do ...
    (clique aqui para ver Acórdão)Em 1º de dezembro de 2011, o egrégio Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (sediado em Campinas - SP) mais uma vez reconheceu a representatividade do Sindeepres para fazê-la em prol dos trabalhadores terceirizados que prestam serviços em portarias de condomínios e edifícios, em todo o Estado de São Paulo (Proc. Nº 0139500-95.2009.5.15.0043), e veio colocar um freio nas atitudes descabidas e ilegítimas que vinham sendo praticadas pelo Sinconed (Sindicato dos Trabalhadores em Edifícios e Condomínios de Campinas e Região), que representa os empregados contratados diretamente pelos Condomínios e Edifícios localizados nas cidades de Americana, Amparo, Campinas, Capivari, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Jaguariúna, Paulínia, Pedreira, Santa Bárbara D’Oeste, Sumaré, Valinhos e Vinhedo. Por sua vez, o Sindeepres representa trabalhadores terceirizados, entre outros, aqueles que são contratados por empresas e que prestam serviços em Condomínios e Edifícios em todo o Estado de São Paulo, inclusive em Campinas e região.A decisão do TRT/15 foi no mesmo sentido de várias outras já proferidas pela Justiça do Trabalho, ou seja, entendendo que trabalhadores contratados diretamente por condomínios ou edifícios são representados pelos sindicatos de trabalhadores em condomínios e edifícios; enquanto os trabalhadores terceirizados, quando prestam serviços para tomadores de serviços – condomínios e edifícios são legitimamente representados pelo Sindeepres.Com essa decisão da Justiça do Trabalho, espera-se que o Sinconed abandone a aventura iniciada, deixe de praticar atos irresponsáveis e pare de assediar e iludir trabalhadores, que ele (Sinconed) bem sabe não serem seus representados. Logo, acredita-se que o Sinconed irá cumprir integralmente a decisão judicial proferida pelo TRT - 15ª Região:a) não representar os trabalhadores terceirizados, ou seja, não pode o Sinconed, inclusive quando o tomador de serviços se tratar de condomínio ou edifício, bem como de, em relação a tais trabalhadores (terceirizados), firmar acordos ou convenções coletivas de trabalho, ajuizar dissídios coletivos, ações individuais ou coletivas, arrecadar contribuições e efetuar a homologação da rescisão do contrato de trabalho;b) a restituir ao requerente (Sindeepres) as quantias arrecadadas na condição de representante dos empregados terceirizados em portarias em edifícios e condomínios; ec) ao pagamento de honorários advocatícios.Assim, permanece, uma vez mais, judicialmente reconhecida e ratificada a representatividade do Sindeepres quanto aos trabalhadores terceirizados em portaria, inclusive os que trabalham prestando serviços para condomínios e edifícios de Campinas e região.Portanto, neste caso sob comento, a Justiça do Trabalho de maneira coerente e aplicando os preceitos legais pertinentes para o caso in concreto, não permitiu ao infrator (Sinconed) continuar com a representação que não lhe pertence, bem como certificou de maneira clara, aos trabalhadores e empregadores (empresários e síndicos de edifícios e condomínios), a real e legítima representatividade laboral da categoria naquela base territorial (Campinas e região).Trata-se de mais uma demonstração efetiva de que o Sindeepres permanece alerta às questões de interesse da categoria, zelando pela manutenção de suas bases.
  • Ministro defende contribuição
    Presidente do TST é favorável à taxa assistencial obrigatória para todos os trabalhadores Rio - O ...
    Presidente do TST é favorável à taxa assistencial obrigatória para todos os trabalhadores Rio - O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Antonio Levenhagen, defendeu a cobrança da contribuição assistencial pelos sindicatos, mesmo daqueles trabalhadores que não são filiados às entidades de classe. Atualmente, o entendimento do tribunal é de que as associações representativas não podem obrigar os trabalhadores não filiados a pagar a taxa. Há um precedente normativo na Corte que orienta as decisões judiciais neste sentido. Porém, o magistrado discorda do posicionamento dominante. “Se o acordo vale para todos, por que só o sindicalizado contribui e o outro trabalhador que vai receber os mesmos benefícios não contribui?”, afirmou. No Brasil, o trabalhador é obrigado a pagar o imposto sindical anualmente, no valor de um dia de trabalho, mesmo se não for filiado ao sindicato de sua categoria. A chamada contribuição assistencial também é prevista em lei, mas ainda não há consenso se ela é obrigatória para a todos ou somente para os associados. A obrigatoriedade ampla é uma batalha das centrais sindicais. Segundo o presidente nacional da Força Sindical, Miguel Torres, sem o recurso, os sindicatos ficam enfraquecidos. “Há pessoas que levantam a bandeira de não contribuir com os sindicatos, isso só fortalece o empresariado”, defende. “Nas convenções coletivas, os sindicatos conseguem mais direitos do que a CLT prevê.” O ex-ministro do Trabalho e Emprego e presidente do PDT, Carlos Lupi, defende uma posição intermediária. Para ele, a contribuição só deve ser paga nos casos em que o sindicato realmente ofereça serviços de assistência à categoria. “Pode ser jurídica, médica, odontológica ou outra. Se não houver essa contrapartida, é abuso”, explica.

Destaque + Mais... »

  • Torneios de Futebol regional têm finais em Taubaté, São José dos Campos e São Paulo
    Três equipes venceram os Torneios de Futebol Regional Sindee­pres, em agosto. Em Taubaté, ...
    Três equipes venceram os Torneios de Futebol Regional Sindee­pres, em agosto. Em Taubaté, levantou a taça a Floripark Taubaté; em São José dos Campos, a SCS Barça; e em São Pau­lo, a SCS Perus. Confira! Torneio em Taubaté Por apresentar vantagem técnica e disciplinar dos jogadores, a Floripark Taubaté venceu por 4 a 1 a Tecdata Taubaté na final. Na disputa pelo ter­ceiro lugar, a Termojet venceu por 1 a 0 a Tecdata Pinda. A Termojet se destacou na artilharia, com oito gols marcados por Alexan­dre F. N. C. Junior. O goleiro menos vazado foi Ronny Peterson Valin, da Tecdata Pinda, com 4 gols sofridos. O torneio foi realizado no Sesc Tau­baté. Com 16 jogos no total, teve a participação de 100 associados. Foi o único torneio na história do sindicato que não teve cartão vermelho, resul­tado da disciplina e do respeito aos adversários e à organização técnica. Torneio em São José dos Campos Em jogo equilibrado no primeiro tem­po e decidido no segundo, a SCS Barça venceu por 10 a 4 a Floripark e ficou com o título de campeão. A equipe vencedora se destacou na téc­nica, na habilidade e na experiência, sabendo levar vantagem nos lances da partida. Na decisão do terceiro co­locado, a Alpserv venceu por 1 a 0 a MR Manutenção. Na artilharia, se destacou Roberto Ri­velino dos Reis Silva, da SCS Barça, com 15 gols marcados. O goleiro me­nos vazado foi Ettore Augusto Cha­gas, da Alpserv, que sofreu 11 gols. O torneio foi realizado no Sesc São José dos Campos. Contou com a par­ticipação de 72 associados nos 16 jogos. Torneio em São Paulo Com a vantagem de ter jogadores ha­bilidosos com boa preparação física, a SCS Perus venceu a Ernosul por 8 a 3 na final. Na decisão pelo terceiro lugar, a disputa acirrada entre Pou­patempo Lapa e Poupatempo Cidade Ademar foi decidida no último minuto da partida. Com vantagem na artilha­ria, o Poupatempo Cidade Ademar venceu por 7 a 6. O artilheiro foi Matheus Freire de Sou­za, do Poupatempo Cidade Ademar, com nove gols marcados. A SCS Pe­rus teve a defesa menos vazada, com o goleiro Rafael Aparecido Quirino so­frendo nove gols. O torneio foi realizado no Sesc Santa­na. Nas 16 partidas participaram 114 associados.
  • Justiça sentencia favoravelmente aos trabalhadores da Evoluti
    Em decisão recente, o Poder Judiciário, por meio da 6ª Vara do Trabalho de Campinas/SP, proferiu ...
    Em decisão recente, o Poder Judiciário, por meio da 6ª Vara do Trabalho de Campinas/SP, proferiu sentença favorável no processo coletivo (0010503-65.2014.5.15.0093) dos trabalhadores da Evoluti, movido pelo SINDEEPRES, contra a prestadora de serviços Evoluti Tecnologia e Serviços Ltda. e as tomadoras Companhia Paulista de Força e Luz – CPFL, Companhia Piratininga de Força e Luz S.A. e Companhia Jaguari de Energia S.A. As empresas foram condenadas a pagar saldos de salários, 13º proporcional, férias + 1/3, FGTS dos meses de dezembro/2013 a fevereiro/2014, multa de 40% sobre todos os depósitos existentes na conta do FGTS, multas dos artigos 467 e 477 da CLT, multa convencional (atrasos nos pagamentos), aluguel de moto e prêmio de incentivo ao trabalhador “presente perfeito”.  Na mesma decisão, ficou determinado que o Poder Judiciário procederia às baixas nas CTPSs dos trabalhadores, bem como seriam expedidos alvarás para que os trabalhadores possam sacar o FGTS depositado e os desempregados possam se habilitar para recebimento do seguro desemprego. As partes não apresentaram recurso à sentença prolatada, tornando-se definitiva a decisão. O SINDEEPRES encaminhou cópias de todo o processo ao contador para que seja apurado qual o valor devido a cada trabalhador. O valor arrestado na Ação Cautelar (0010308-80.2014.5.15.0093), também intentada pelo Sindicato, pode não ser suficiente para quitar todas as verbas devidas pelas reclamadas aos trabalhadores. Entretanto, o SINDEEPRES continuará com a execução contra a Evoluti e, não havendo mais bens em nome da empresa, as tomadoras de serviços (CPFL, Piratininga e Jaguari) responderão pela satisfação dos créditos trabalhistas constantes na sentença. O SINDEEPRES mais uma vez demonstra estar atento às necessidades de seus representados e que, efetivamente, não medirá esforços para buscar que a lei e os trabalhadores terceirizados sejam respeitados.
  • Sindicalistas apoiam a reeleição da presidenta Dilma Rousseff
    As centrais sindicais de trabalhadores UGT, CTB, CUT, CSB, Força Sindical e NCST selaram apoio à ...
    As centrais sindicais de trabalhadores UGT, CTB, CUT, CSB, Força Sindical e NCST selaram apoio à reeleição da presidenta Dilma Rousseff em evento realizado em agosto (07), no Ginásio da Portuguesa, no bairro de Canindé, em São Paulo. Segundo os líderes dessas entidades, os avanços sociais e econômicos pelos quais o Brasil passa desde o primeiro governo Lula, que começou em 2003, foram fundamentais para que firmassem a decisão. Dentre os avanços socioeconômicos nos últimos 11 anos apontados destacam-se os programas de transferência de renda que contribuem para diminuição das desigualdades sociais; o controle efetivo da inflação; a geração de mais de 20 milhões de empregos; o programa de habitação popular Minha Casa, Minha Vida; o programa Mais Médicos; a ampliação de centros acadêmicos federais e de investimento na educação infantil; e programas de financiamento estudantil. Ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma reafirmou compromisso do seu governo com a política de valorização do salário mínimo e a geração de mais empregos. Ao final do evento os sindicalistas entregaram a Dilma um manifesto de apoio em que são cobrados novos compromissos do governo com a classe trabalhadora.  O manifesto, assinado pelos presidentes das centrais sindicais e pelo secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, reivindica o fim do fator previdenciário; diminuição da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem redução salarial; regulamentação da Convenção 151 da OIT; ratificação da Convenção 158 da OIT na fonte; reajuste digno para os aposentados; mais investimentos em saúde, educação, segurança e transporte público; redução na taxa de juros; reforma agrária; e igualdade de oportunidades e salariais entre homens e mulheres. O presidente do SINDEEPRES, Genival Beserra Leite, esteve presente no evento.
  • UGT promove debate sobre a Política Nacional de Participação Social
    Em julho (24), realizou-se na sede da União Geral dos Trabalhadores (UGT) debate sobre o Decreto ...
    Em julho (24), realizou-se na sede da União Geral dos Trabalhadores (UGT) debate sobre o Decreto 8.243/2014, que institui a Política Nacional de Participação Social (PNPS), que propõe a integração, a articulação e o fortalecimento das instâncias democráticas entre governo federal e a sociedade civil. O decreto foi anunciado pela presidenta Dilma Rousseff no dia 23 de maio de 2014, e no evento o diretor de Participação Social da Secretaria Geral da Presidência da República, Pedro de Carvalho Pontual, esclareceu aos sindicalistas seus principais pontos. “Estamos fazendo nada mais do que um arranjo social de um conjunto de instâncias e mecanismos de participação social já existente na sociedade brasileira. E o decreto propõe novas formas de participação, sobretudo aquelas que podem ser geradas a partir dos ambientes de participação virtual”, destacou Pontual, ao afirmar que as decisões não devem partir apenas do âmbito institucional. O presidente da UGT, Ricardo Patah, afirmou ser completamente favorável à PNPS e prometeu defendê-la. Segundo ele, é fundamental que o conjunto da sociedade se conscientize sobre a importância de se envolver em debates que visem a buscar melhorias nos indicadores sociais. “Vivemos praticamente em um estado democrático, mas muitas vezes as pessoas confundem essa forma de governo com o ato de votar e ser votado. Mas a democracia é muito mais do que isso, principalmente em um país continental com tantas diversidades e adversidades, com uma série de questões que não são respondidas, por melhor que seja a intenção dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário”, disse. Para o presidente do SINDEEPRES, Genival Beserra Leite, o decreto é uma ameaça ao sistema democrático brasileiro, pois enfraquece o Congresso Nacional, legítimo representante do povo, e o poder judiciário.  “Foi o mesmo caminho tomado pelos países bolivarianos. É forma de derrubar a democracia”, afirma. Outro questionamento, segundo o presidente, diz respeito à composição da PNPS. “Quem vai compor o conselho das Forças Armadas e da Polícia Federal, por exemplo?”. O encontro contou com a participação de representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Força Sindical, da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST). Confira a íntegra do Decreto 8.243/2014 no site http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Decreto/D8243.htm.
  • Gaudêncio Torquato fala sobre marketing político na Assembleia Legislativa de São Paulo
    Em junho (04), o professor titular da Universidade de São Paulo (USP) e consultor político ...
    Em junho (04), o professor titular da Universidade de São Paulo (USP) e consultor político Gaudêncio Torquato realizou na Assembleia Legislativa de São Paulo palestra intitulada Dez res­postas para a pergunta: “Como ganhar as eleições?” - O marketing eleitoral de 2014. Com o patrocínio do SINDEEPRES e apoio do PMDB-SP, a apresentação abordou dez eixos fundamentais para a realização de uma campanha políti­ca: incorporação do candidato às no­vas demandas sociais; marketing seg­mentado, isto é, atenção ao discurso e plano regional focado; discurso condi­zente, consistente, objetivo e claro; ar­ticulação com a sociedade organizada; atenção às demandas sociais de de­terminadas comunidades; onipresença para multiplicar a visibilidade; utiliza­ção adequada dos diferentes meios de comunicação; agenda eficiente, com linguagem unificada da equipe; refle­xão sobre os pontos fortes e fracos da campanha; e alocação adequada de recursos para a campanha. Em meio ao cenário de plena corrosão da imagem da democracia representa­tiva e com o surgimento de entidades não governamentais que promovem manifestações, Gaudêncio também enfatizou a importância de o candida­to estar atento à nova realidade social que surgiu com a ascensão da classe C, formada atualmente por 53% da po­pulação. “Na minha visão, é essa clas­se que está fazendo movimentação de rua. É o mesmo contingente que saiu da base da pirâmide e quer mais segu­rança, melhores transportes e melho­res sistemas de saúde. Essa turma do quero mais será decisiva no processo das urnas.” “Uma exposição como essa é importante porque Gaudêncio tem vasta expe­riência nessa área de marketing político, de jornalismo e de fazer uma leitura do momento”, destacou o deputado Baleia Rossi (PMDB-SP), que mediou a pales­tra. Segundo o presidente do SINDEEPRES, Genival Beserra Leite, em meio ao cenário político de indefinições, com a ampliação de manifestações e greves, “a palestra pode trazer esclarecimentos não só para os pré-candidatos como para o eleitor”. O empresário Paulo Skaf, presidente li­cenciado da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pré­-candidato ao governo do estado pelo PMDB-SP, também esteve presente no encontro. “É muito importante um traba­lho como esse para que todos tenham oportunidade de ouvir nosso amigo e professor Torquato, que tem vasta expe­riência. Sem dúvida nenhuma, depois de respondidas as dez perguntas vou pegar uma colinha, porque as orientações são muito pertinentes”, brincou. Mais de 200 pessoas, entre pré-candi­datos e seus assessores e profissionais de marketing e de comunicação parti­ciparam do evento. O ex-governador de São Paulo Luiz Antônio Fleury e os deputados estaduais Jooji Hato e Jorge Caruso (PMDB-SP) foram algumas das autoridades que prestigiaram a palestra, à qual compareceu também o presiden­te do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo (Sindpd), Antonio Neto. Torquato destaca a importância de os candidatos se articularem com as atuais demandas sociais O jornalista e consultor Gaudêncio Torquato é especialista em marke­ting político e eleitoral, com expe­riência de mais de três décadas na esfera acadêmica e no universo da política, incluindo a organização de campanhas majoritárias e proporcio­nais em diversos estados brasileiros. A palestra que realizou na Assem­bleia Legislativa de São Paulo teve como referência seu livro mais re­cente, Novo Manual de Marketing Político. A obra tenta explicar, por meio de dez respostas, como ga­nhar uma campanha em tempos de grandes mudanças. Leia a entrevista na íntegra.   Folha Terceirizada: Desses dez passos apresentado no livro, qual faz mais diferença na campanha? Torquato: Todos os dez passos são importantes porque são complemen­tares. É evidente que alguns ganham ênfase – por exemplo, os candidatos devem procurar mapear as organiza­ções que intermedeiam os interesses da sociedade. Neste ano, essa arti­culação social será mais importante do que em campanhas anteriores em função da organicidade social, em função das manifestações de rua. Nós estamos vivendo um Brasil diferente, mais participativo e mais intenso, com vontade de demandar e de pressionar. Isso implica, por par­te dos candidatos, em esforço maior de articulação com a sociedade. Aconselho também os candidatos a trabalharem com eventos menores e mais rápidos, substituindo os grandes eventos e co­mícios que fizeram as campanhas do passado. Qual o cenário político para 2014? Torquato: Tenho notado muitas mudan­ças por todo o território nacional. Isso pode significar renovação de grande parte do Parlamento, particularmente a Câmara dos Deputados. Assim, esse ensaio de democracia direta pode impli­car em transformações nos padrões da política brasileira. Quais diferenças você observa no perfil do eleitor de 2010 e de 2014? Torquato: O eleitor está mais crítico, mais racional, mais lógico, mais exi­gente e não está se deixando enganar com a figuração do candidato. Enfim, estamos passando da fase do bonitinho, mas ordinário. Hoje os cidadãos querem conteúdo, propostas mais sérias, ao in­vés de apenas espetacularização e pro­gramas bem elaborados, mas com falta de conteúdo. Fale um pouco sobre o Novo Manual de Marketing Político. Torquato: Meu livro reúne aulas, ensaios e artigos sobre marketing político. É uma tentativa de mostrar minha experiência na política e os trabalhos realizados na academia. Trata-se de um roteiro de si­tuações que devem ser desenvolvidas e aplicadas pelos candidatos, tanto em campanhas proporcionais (deputado fe­deral, deputado estadual, deputado dis­trital e vereador) como em campanhas majoritárias (presidente da República, governador de estado e do Distrito Fe­deral, senador e prefeito).

Boleto

icone-boleto

Solicitar 2° via

Associe-se Agora

filie-se

Junte-se a nós

Colônias de Férias

Barraca de Praia em Santos

Galeria de Fotos

Visita na Sede

Folha Terceirizada

Tempo Agora

Fair

18°C

São Paulo

Quarta 17°C / 31°C Partly cloudy
Quinta 19°C / 27°C Showers
Sexta 19°C / 26°C PM showers